Sexta-feira, 20 de Outubro de 2006

 

 

 

Lá fora o vento sopra, com ele

Arrasta gemidos de dor,

Plasmados no ar..

Perduram das bocas os lamentos

Abafados dos Seres, fazendo eco no tempo,

Com sulcos esculpidos na face, das lágrimas avinagradas

Que brotam sem querer…

Outros de miasmas amordaçados de mal dizer,

Outros ainda de faces cerradas

Como dia sem sol, na penumbra encarcerados,

No tempo intemporal, onde o silêncio

Impera, e o grito abafado,

Num sorriso disfarçado,

Contendo qualquer gesto de amor…

E…assim,

Travando o assolar de Sua existência.

 



publicado por Cöllyßry às 17:57
Bom de fim-de-semana, enquanto lá fora o vento sopra e a chuva cai, aqui a belza impera, nest interessante blogue.
Jofre Alves a 21 de Outubro de 2006 às 19:04

O vento lá fora é uma imagem literária mui interessante. Ele leva, mas também traz..
Beijinhos
unicus a 21 de Outubro de 2006 às 20:18

Bem vindo a este meu espaço e grata pela visita, volte sempre, será bem recebido__________________
Terno beijo deixo, Cõllybry
Cöllyßry a 22 de Outubro de 2006 às 15:47

Grata pelas constantes visitas aos meus espaços________________Doce beijo deixo, Cõllybry
Cöllyßry a 22 de Outubro de 2006 às 19:20

Está fantástico o teu blog, design, som, tudo, parabéns e obrigado pelas visitas constantes que por pena minha teêm sido mal retribuídas..
O vento dá-nos tanto e traz à superfície coisas que escondemos todos os dias..mas não é só o vento que revela tais realidades, ele apenas clarifica o nosso ser purificando cada alma por onde passa..
A brisa carrega palavras, sussurros de vidas passadas, de actos obscuros, de sorrisos perdidos por todo o sempre..
Mas ele acalmará um dia..quando o seu som se tornar a melodia que tanto procurámos, quando se libertar da existência éfemera pela qual não consegue ser livre.esse dia chegará, e quando chegar, estaremos à sua espera..
jinho PG
Pedro Guerra a 22 de Outubro de 2006 às 13:13

Sempre belo o que escreves!Mais uma vez gostei de passar aki!Um beijo muito grande e boa semana!
Gaybriel a 22 de Outubro de 2006 às 20:13

Sempre belo o que escreves!Mais uma vez gostei de passar aki!Um beijo muito grande e boa semana!
Gaybriel a 22 de Outubro de 2006 às 20:15

Tempo para versos, tristeza e melancolia!
soaresesilva a 22 de Outubro de 2006 às 21:37

Prefiro ventos de felicidade, com sons de risos!

beijinhos*.*
guiga a 24 de Outubro de 2006 às 10:14

Um poema muito bem desenhado!"Depois do temporal vem a bonança"ASSIM DIZ O POVO!Beijinho.
Maria a 26 de Outubro de 2006 às 19:22

O extâse do ar que aqui sinto e as palavras do vento
povoaram de ti o meu pensamento. Lindas estas palavras...palavras ao sabor dos ventos...ventos de lamento.

Um bj sentido
sentidos a 27 de Outubro de 2006 às 01:13

Ou de como o tempo interfre com o nosso sentir! Hoje está sol. Escreverias o mesmo poema?
soaresesilva a 28 de Outubro de 2006 às 15:18

Olá querida amiga...O tempo interfere sim em nós, porque nós interferimos com o tempo...
Altero o vento que trás os lamentos de dor, com o sol abrasador que queima no dito Outono e deixa no ar…o prenuncio de…
Escreveria sim…
Deixo meu doce beijo,Cõllybry
Cöllyßry a 28 de Outubro de 2006 às 16:03

Olá Collybry, lindo o teu poema, gostei. Espero que o teu esvoaçar não pegue um vento desses. beijos.
Espelhodesombras
jpcfilho a 28 de Outubro de 2006 às 22:57

Em poesia palavra escrita que rompe em grito expressa num rabisco, a dor e saudade… O infinito… Descreve o amor ausente e presente, perpétuo e passageiro... Todo o sentir que imana no corpo e, Na Alma, da gente...




mais sobre mim
arquivos
2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


as minhas fotos
Passaram: 
online:   

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO