Sexta-feira, 09 de Março de 2007




Corpo de menina-Mulher
Emoções escondidas
Recalcadas…
Trementes,
Desabrochas em medo da descoberta…
Pudor, despudorado em ânsia de Ser
Mulher-menina.




publicado por Cöllyßry às 19:06
Gosto muito do género do teu blog!
Quem sabe se visitares o blog: http://gaivotapoesia11.blogs.sapo.pt, não irás gostar?!
Beijos
Chicailheu
Chicailheu a 11 de Março de 2007 às 08:08

Olá Chicailheu, bem vinda a este meu espaço, pensei que conhecias, me alegra teres gostado, volta sempre que Te apeteça...Bjca
Cöllyßry a 11 de Março de 2007 às 17:25

Gostei do texto! Beijinho.
Maria a 12 de Março de 2007 às 18:29

"Pudor,despudorado em ânsia de Ser Mulher-menina" isto que escreves é uma verdade, hoje a juventude tem pressa de tudo, não chegam a saber destinguir, onde começam a ser menina e onde começaram a ser mulher.

Beijos
wings a 13 de Março de 2007 às 00:49

Ser mulher é especial!

Beijinhos*.*
guiga a 14 de Março de 2007 às 14:58

Linda Collybry, mulher e menina linda é vc, e ainda de quebra uma maravilhosa poeta, que voa....Todos os beijos
jpcfilho a 15 de Março de 2007 às 08:28

Não. Não vou comentar o teu post meu doce passarinho. Vou comentar um comentário teu no blog da pequenita.
Dizias que se não fosse tão explicito que não ficaria pior ou algo do género.
Essas coisas dependem do momento. Nem sempre nos tocam do mesmo modo. É como estarmos docemente olhando um belo animal selvagem caminhando no seu elemento natural e nutrir-mos por ele uma ternura infinita e uma admiração notável e, no dia seguinte, ou mesmo um pouco mais tarde, estar-mos a comê-lo cozinhado de uma qualquer forma e ficando deliciados com o sabor da sua carne. Chocante, mas verdadeiro
seforis a 16 de Março de 2007 às 03:13

Olá doce passarinho! E agora, consegues ver a sua sensualidade? Agora que te foi negada a visão de tantas realidades das quais se vão compondo as nossas vidas ou as vidas dos outros, não interessa. No final será só uma! Vês quanta sensualidade existe se apagares a luz ou fechares os olhos e fingires que nada do que vês está lá realmente. Vês como se alimenta o colibri? Deixa intacta a FLOR! Meu doce, deixa um pouco de mel no seu cantinho... Um beijo querida!
seforis a 19 de Março de 2007 às 23:59

A imagem, a liberdade, a convicção de que o belo permanece para sempre...Descobre-te e Sê

És especial... continua

Com amizade,

Aida
criar e ousar a 19 de Março de 2007 às 17:30

A consciência do medo é meio caminho andado para a libertação.
Bonitas palavras.
Beijo.
Nilson Barcelli a 20 de Março de 2007 às 09:57

Há uma eterna descoberta.
Um beijo
Fica bem
Temp_nua
temp_nua a 21 de Março de 2007 às 19:25

Gosto muito deste teu espaço "mais escondido", tal como o meu "gaivotapoesia"!
Nestes espaços, podemos desnudar-nos mais...extravasar emoções e viajar nos sonhos!!!
Beijos
Chicailheu
Chicailheu a 22 de Março de 2007 às 08:10

Em poesia palavra escrita que rompe em grito expressa num rabisco, a dor e saudade… O infinito… Descreve o amor ausente e presente, perpétuo e passageiro... Todo o sentir que imana no corpo e, Na Alma, da gente...




mais sobre mim
arquivos
2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


as minhas fotos
Passaram: 
online:   

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO