Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2007

 

Viajo acordada na distância que…
Separa nossos corpos ardentes
Desejo esse latente
Onde beberia o suco de Tua boca
Nos beijos suculentos
Saciaria a fome de desejo
Apagaria o fogo que arde
Nas entranhas de meu ser
Oh distancia que mata
Nesta saudade feroz…






publicado por Cöllyßry às 18:35
Em poesia palavra escrita que rompe em grito expressa num rabisco, a dor e saudade… O infinito… Descreve o amor ausente e presente, perpétuo e passageiro... Todo o sentir que imana no corpo e, Na Alma, da gente...




mais sobre mim
arquivos
2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


as minhas fotos
Passaram: 
online:   

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO